O técnico Júnior, comandante do Coritiba Futsal, terá todo seu elenco a disposição para a sequência do Alviverde no Campeonato Paranaense de Futsal da Série Prata. Isto porque o pivô Raphão, expulso no jogo contra o Clevelândia, no mês passado, foi julgado na noite desta terça-feira pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Paranaense de Futebol de Salão (FPFS) e absolvido por unanimidade dos votos.

O camisa 9 do Coxa Futsal, destaque da equipe no Estadual, foi julgado com base no artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê punição de uma a três partidas para o atleta que pratica ato desleal e hostil durante a partida. Porém, a defesa da advogada Fernanda Carpinelli, da Scopo Sports, conseguiu a absolvição do jogador por unanimidade dos votos.

No lance em que foi expulso, Raphão, que já tinha cartão amarelo, foi tentar o cabeceio dentro da área e a bola bateu na sua mão. Porém, a arbitragem caracterizou o lance como intencional, deu o segundo cartão amarelo para o jogador, que foi excluído do duelo contra o Clevelândia.

Compartilhe com seus amigos: